A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, lamenta profundamente a história de perseguição anti-LGBT da Commonwealth

Falando diante dos 53 líderes das nações da Commonwealth, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse que “lamenta profundamente” a sua história de perseguição anti-LGBT.

O Guardian relata:

O primeiro-ministro pediu às nações da Commonwealth que revisem a legislação da era colonial, que trata mais de 100 milhões de lésbicas, gays, bissexuais e trans entre os países membros como criminosos.

May já havia ido além de seus antecessores quando ela reconheceu no ano passado que a Grã-Bretanha tinha uma “responsabilidade especial” de ajudar a mudar corações e mentes em leis anti-gay.

May atraiu elogios de alguns na platéia na terça-feira, quando ela disse: “Ninguém deve enfrentar perseguição ou discriminação por causa de quem eles são ou quem eles amam.”

O antigo ativista britânico Peter Tatchell disse: “Esta declaração de arrependimento não pode ser facilmente descartada e menosprezada pelos chefes de governo da Commonwealth. O arrependimento do primeiro-ministro pela imposição de leis anti-gays pela Grã-Bretanha reposiciona a questão LGBT de uma maneira que provavelmente provoque menos hostilidade nos países da Commonwealth. ”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *